Brincadeiras sensoriais para fazer com as crianças


Seja através de elementos da natureza ou de objetos pessoais, existem diversas formas de criar atividades sensoriais sem sair de casa. Selecionamos, então, brincadeiras que podem ser feitas com recém-nascidos, bebês de 12 a 18 meses e crianças maiores de dois anos de idade. Confira!


5 brincadeiras sensoriais para fazer com recém-nascidos

Engana-se quem pensa que recém-nascidos não podem brincar. Pelo contrário. As brincadeiras sensoriais os ensinam a sensação tátil, o reconhecimento de sons e outras vivências sensoriais. Lembre-se de sempre supervisionar o bebê enquanto ele brinca, afinal, ele pode se expor a riscos, como engolir algo indevido.

Cheiros novos Esta brincadeira é indicada para bebês que já conseguem ficar sentados com apoio. Separe algumas especiarias ou alimentos com cheiros fortes e os apresente para o bebê. Evite alimentos em pó, dê preferência a canela em pau, noz moscada, cravo, gengibre e limão, por exemplo.


Escovinha no pé Use uma escovinha macia e passe suavemente no pé do bebê. A sensação tátil em uma região sensível pode resultar em risadas.


Vozes alteradas Uma brincadeira para estimular a audição é interessante, já que nascemos com esse sentido mais desenvolvido do que a visão, por exemplo. Uma ideia é usar um rolo de papel higiênico para fazer alterações na voz, ruídos e barulhos, estimulando o bebê a identificar variações sonoras.

Movimentos no papel de seda Compre uma ou duas folhas de papel de seda, como as que são usadas para embrulhar presentes. Coloque as folhas penduradas sob almofadas ou no colchão, formando uma queda, como uma cortina, na qual o bebê pode chutar ou fazer outros movimentos. Os sons e a textura do papel devem entreter o bebê.


O “achou” Pode parecer clichê, mas o “achou!” costuma fazer sucesso entre os bebês recém-nascidos. Se houver variação de voz e de modos de aparecer, a risada é garantida.

10 brincadeiras sensoriais para bebês entre 12 e 18 meses


Descoberta sensorial com gel Coloque um pouco de gel de cabelo dentro de um saco plástico transparente, como ziploc, e deixe que o seu bebê o aperte e interaja com ele. O saco pode ser usado, por exemplo, para estimular o seu bebê a percorrer certa distância, caso ele já esteja na fase de aprender a andar.

Conhecer a natureza Um modo simples de brincar e que não requer qualquer desenho é levar o bebê para passear em algum jardim ou parque. Sentir o vento, ouvir os pássaros, pegar pedrinhas e pisar na folha, tudo isso é conhecimento sensorial para um bebê.

Brincar na chuva Se você morar em um lugar que faça calor, a chuva é um ótimo brinquedo para a criança. Ela se envolve com a natureza e descobre novas sensações.


Papel contact Compre um papel contact e alguns pompons para colar nele. Você pode usar uma parede como suporte para o papel. A textura dos pompons e o barulho do grudar e desgrudar podem envolver os bebês. Grudar e desgrudar post-it Use o cadeirão ou algum canto para grudar e desgrudar post-its. Nessa brincadeira o bebê desenvolve a coordenação motora, em geral, e a habilidade de pinça, em específico.


Algodão no pote Caso o bebê já esteja na idade de compreender o que ele deve ou não colocar na boca, dê a ela um pote com algodão. A possibilidade de poder encher e esvaziar o pote o ensina noção espacial, já a textura do algodão brinca com o tato.


Algodão molhado Um pote com um pouco de água, alguns algodões e brinquedos, pronto, a brincadeira está garantida! Ensine ao bebê as diferentes texturas brincadeiras que ele pode fazer com o algodão.


Caixa com arroz Pegue uma caixa grande, coloque dentro dela 5kg, brinquedos e o bebê. O deixe interagir e sentir as texturas do arroz e dos brinquedos.


Caixa com areia Faça o mesmo procedimento da “caixa com arroz”, mas a encha com areia, evidentemente. Permita que o bebê conheça diferentes texturas e sensações.


Massinha de modelar A massinha de modelar, além de desenvolver o tato da criança, explora a sua imaginação. Por isso, compre massinhas de diferentes cores ou mesmo cheiros e permita que o bebê brinque bastante com elas.


7 brincadeiras sensoriais para crianças maiores de 2 anos

Como dissemos, as brincadeiras sensoriais são uma estratégia importante no processo de aprendizado das crianças. Por isso, mesmo quando elas estão mais velhas essas atividades devem acontecer.

Esponjas e bacias com água Separe duas bacias com água e uma esponja picada. Coloque todos os pedaços da esponja em uma das bacias, então, dê um pegador ao bebê e peça a ele que pegue os pedaços para colocar na outra bacia.


Encontre o par, no arroz Coloque vários pares de objetos iguais, como bolinhas ou bonecos, dentro de uma caixa com arroz. Depois, peça às crianças que os procurem, montando os pares corretamente.


Papel picado Pegue papéis velhos, sem uso, e deixe os bebês picarem. A ideia é simples, mas os pequenos a adoram. Se quiser deixar mais interessante, peça para eles cortarem em formas geométricas específicas e, posteriormente, cole com eles os pedaços em alguma superfície, como capa de caderno.


Cortina sensorial Esta brincadeira requer espaço e mais de um participante. Separe garrafas pets de diferentes tamanhos, peça às crianças que as a pintem como quiserem; depois, amarre com elas as garrafas em alguma madeira ou viga, de modo que as várias garrafas penduradas criem uma cortina. A ideia é usar a imaginação, de modo que as garrafas possam estimular mais de um sentido.


Jardim de gelatina Faça bastante gelatina e coloque em um pote. Insira também pedaços de frutas cortadas em formatos variados dentro do pote. Peça para o bebê procurar as frutas com as mãos. A sensação de mexer na gelatina costuma animar os bebês.


Pintando com os pés Compre guache e escolha um local adequado, como o quintal da casa, calçada ou toalha velha, então, deixe que as crianças pintem os próprios pés e os utilizem para desenhar e pintar no local escolhido.


Carimbo de frutas Providencie tintas de várias cores e frutas de variados tamanhos e texturas. Peça à criança que pinte a fruta com diferentes cores para usá-la como carimbo. A ideia não é que a reprodução seja perfeita, mas que a criança explore os diferentes formatos, texturas e possibilidades de reprodução.


27 visualizações0 comentário