Como ajudar seu filho a atravessar as frustrações...


Se você perguntar aos pais o que eles mais querem para o filho, muitos dirão algo assim: “Eu só quero que meu filho seja feliz”. Embora a maioria deles saiba, em um nível lógico, que não pode fazer isso acontecer, ver as crianças frustradas ou profundamente tristes é muito desconfortável.


gif

Isso também é verdade para nós, como profissionais. Embora possamos estar bastante acostumados a apoiar e trabalhar com crianças ansiosas, frequentemente frustradas e desapontadas, e conhecer os passos a serem tomados para ajudá-las a gerenciar essas outras emoções, é algo desafiador lidar com uma criança nessa situação.


O que está por trás da ansiedade infantil?

Compreender seu filho é uma das coisas mais importantes que você deve aprender como pai ou mãe. Isso é muito importante para a criança, à medida que ela cresce e amadurece. Esse desejo de que a criança seja feliz é o ponto desafiador em qualquer jornada parental. Porque na vida vamos ter desafios assustadores. E como disse Freud “na vida temos episódios de felicidade”.


Mas tem uma coisa que eu descobri logo cedo na minha vida: adversidade e felicidade andam juntas. Isso significa que precisamos ajudar as crianças a sustentar suas frustrações, atravessar o sofrimento.


Na boa intenção é comum querer compensar as frustrações ou tristezas dos filhos com presentes ou comidinhas preferidas. A criança volta triste da escola os pais falam: “liga não, vou preparar um lanchinho bem gostoso para você”, ou “vamos no shopping comprar um presente para você”. Não há problema algum em querer agradar os filhos. Mas, como tudo é aprendizado, a criança pode aprender que todos as vezes que estiver triste pode encontrar uma forma de “afogar” as mágoas e de tentar esquecer suas tristezas.


E esse comportamento pode se estender para a vida adulta. Recentemente, o influenciador Felipe Neto contou em suas redes sociais que está passando por uma fase de depressão. Certo dia, se jogou no shopping para aplacar a tristeza nas compras. Deu certo? "Não", como ele mesmo disse em seu perfil do Twitter.

É exatamente isso que acontece: quando a boa sensação de comer algo gostoso ou de comprar algo novo passa, seu filho percebe que essas ações funcionaram por pouco tempo e volta a buscar situações de alívios.


Começa com a autoestima!

A autoestima é uma chave importante para o sucesso na vida. O desenvolvimento de um autoconceito positivo ou autoestima saudável é extremamente importante para a felicidade e o sucesso de crianças e adolescentes. Uma relação positiva entre filhos e pais fornece a estrutura e o apoio para que uma criança desenvolva um respeito e consideração saudáveis por si mesma e pelos outros. As crianças anseiam por tempo com os pais. Isso faz com que elas se sintam especiais. E um dos momentos mais importantes para elas é ter a companhia da mãe ou do pai na hora de brincar. Reserve esse espaço na sua agenda. E, se tiver mais de um filho, busque ter ocasiões para estar sozinho com cada filho, assim como com todos juntos, incluindo os adultos da casa.


A boa notícia é que você não precisa ser um especialista em psicologia infantil para transmitir a força interior (autoestima) e a sabedoria necessárias para enfrentar alegremente os altos e baixos da vida. Com paciência e flexibilidade, qualquer pai e mãe pode estabelecer as bases para uma vida inteira de felicidade.

Seu filho provavelmente tem suas próprias maneiras de te mostrar quando está passando por um momento difícil. Algumas crianças podem se retirar, outras podem atacar e há aquelas, ainda, que podem se tornar grudadinhas. À medida que você conhece o temperamento do seu próprio filho, será mais fácil aprender os sinais de que algo não está certo em seu mundo.


Permita que seu filho fique triste ou bravo

Deixe as crianças vivenciarem esses sentimentos. Quando seu filho chorar em um canto durante uma festa de aniversário, sua reação natural pode ser dizer: "Você deveria estar se divertindo como todo mundo!" Mas é importante permitir que ela experimente esses momentos de desconforto.

Os pequenos precisam saber que não há problema em ser infeliz, às vezes — faz parte da vida. E se você tentar amortecer qualquer infelicidade, estará enviando a mensagem de que é errado se sentir triste. Deixe seu filho experimentar seus sentimentos, incluindo tristeza.


Ouça o seu filho

O melhor conselho sobre como saber se o seu filho está feliz é o mais simples: Ouça. Pergunte a seus filhos se eles estão felizes com a mesma frequência que eles reviram os olhos. É uma maneira de informá-los de que você se importa. A comunicação aberta é essencial para entender o humor da criança. "Por exemplo, diga ao seu filho: Você parece estar se arrastando ultimamente, parece triste. Há algo que você queira me dizer, algo que está incomodando você? Então, deixe-o falar”. Se ele se afastar, tente novamente no dia seguinte.






Fonte: Revista Crescer - Mônica essanha

19 visualizações0 comentário
pngwing.com (2).png