Uso excessivo de telas prejudica capacidade motora das crianças, diz estudo brasileiro

O uso de telas diário superior a 2h prejudica a capacidade motora de crianças que tem entre 4 e 6 anos, de acordo com pesquisa realizada pelo Departamento de Psiquiatria da Escola Paulista de Medicina (EPM/Unifesp).

Para o estudo, os pais de 900 crianças nessa faixa etária responderam a questionários para determinar a duração do sono e o uso diário de telas dos filhos, o que incluía computador, televisão, celular, tablet e videogame. Mais de 55% das crianças avaliadas faziam as refeições assistindo televisão, e 28% passavam mais de duas horas utilizando mídias de tela.


Além disso, as crianças realizaram uma avaliação motora com os pesquisadores. “Realizamos testes como manuseio de objetos, andar em linha reta, pular, ficar na ponta dos pés, imitação de gestos, noções de direita e esquerda, repetir frases e reprodução de estímulos visuais e auditivos”, explica a fisioterapeuta e doutoranda do Departamento de Psiquiatria da EPM/Unifesp, que conduziu a pesquisa, Erika Felix.

Ao analisar os resultados dessa etapa, os pesquisadores identificaram a correlação entre o uso excessivo de telas e o comprometimento das habilidades motoras. “Recomenda-se que crianças de até 11 anos realizem pelo menos 60 minutos de atividade física por dia, tenham 2 horas ou menos de uso de mídia de tela de lazer por dia e durmam de 9 a 11 horas por noite”, disse. Crianças que não cumprem essas recomendações tem maior risco de apresentar habilidades motoras abaixo do esperado.




Fonte: revista Crescer

23 visualizações0 comentário
pngwing.com (2).png