5 atividades que ajudam no desenvolvimento de bebês e crianças

Atualizado: 14 de Set de 2020

Viver é aprender e será sempre assim. Mas é logo no início da vida que aprendemos muito daquilo que moldará a nossa percepção da realidade quando formos adultos. Até os 2 anos de idade, passamos pelo

que os especialistas chamam de neuroplasticidade, o desenvolvimento cerebral com base nos estímulos que recebemos. Como uma esponja, absorvemos novas informações – e enquanto somos bebês,

absolutamente tudo é novidade!

É por isso que é necessário aproveitar esse momento de descobertas e aprendizagem para enriquecer a psicomotricidade dos bebês. “É essencial que eles façam atividades físicas, porque são esses estímulos que farão com que ele conheça o mundo e aumente seu repertório social”, explica Rossana Pugliese, professora de Educação Física, mestre em motricidade humana e doutora em psicologia social.


Ninguém aqui está falando que um bebê precisa malhar! Os estímulos podem ser feitos em casa e não são só físicos, mas também cognitivos e sensoriais. Aqui, a doutora Rossana dá bons exemplos da estimulação que ajuda no desenvolvimento infantil.


1. Se puder, aposte na natação


Não é mito: o bebê já nasce com pré-disposição para nadar! É o que chamamos de reflexo natatório, resquícios filogenéticos que, de acordo com a doutora Rossana, são da nossa própria natureza. Além dos benefícios respiratórios e motores, a água dá contorno ao corpo do bebê e estimula as áreas cognitivas e sensoriais. Mas, lembre-se: bebê na piscina, adulto sempre por perto!


2. Opte por brincadeiras no chão


O solo é o lugar ideal para que bebês e crianças desenvolvam o lado motor com segurança. Se preciso, cerque o espaço com almofadas e travesseiros, espalhe objetos para que brinquem à vontade. Esse é um espaço propício para estimular a criatividade, então você pode, por exemplo, criar brinquedos a partir de objetos reciclados. “Para a criança, é muito importante fazer seu próprio brinquedo, porque aquilo faz parte dela”, conta a doutora.


3. Incentive a pintura


Outra alternativa interessante é deixar que os pequenos pintem com lápis, giz de cera ou tinta guache. Não tenha medo da sujeira: essa pintura pode ser feita até mesmo em papelão. Ela vai ajudar a desenvolver a coordenação motora, a imaginação e a comunicação dos pequenos, que aprendem uma maneira criativa de se expressar.


4. Deixe ele brincar com sagu!


Sim, aquela sobremesa! O sagu vem da fécula da mandioca e possui uma textura diferenciada, ótima para o manuseio e livre de riscos se for ingerido. A nossa dica é que você cozinhe o sagu, deixe a

porção esfriar por completo e depois coloque-a à disposição dos pequenos para que sintam e interajam com o alimento livremente. “Basta ser criativo e estar disponível para mostrar ao seu filho novos sabores, sensações e movimentos”, explica Rossana.


5. Apresente sons com chocalho de grãos


Músicas são estímulos diretos aos sentidos de percepção, principalmente na primeira fase da vida de uma criança. “Não é bobeira falar e cantar para o bebê”, afirma a doutora. O chocalho pode complementar a experiência sonora e tátil, sendo feito em casa com grãos ou botões coloridos dentro de uma garrafa pet, selada com uma fita adesiva bem forte.


Estimular os pequenos ainda na infância a não ficarem parados também está relacionado ao prazer de se movimentar na vida adulta, evitando o sedentarismo. Mas a doutora Rossana Pugliese alerta para o excesso de atividades, que podem sobrecarregar o bebê. O ideal é fazer tudo com equilíbrio, respeitando o tempo de descanso, que também é muito importante.





Fonte: Rossana Pugliese para o blog da Huggies maisabracos.com.br/blog

126 visualizações0 comentário